Fatores que afetam a velocidade de uma reação

Nos tempos modernos, é cada vez mais importante saber como alterar a velocidade das reações químicas.
Muitas vezes interessa que as reações ocorram lentamente, como aco
ntece com as que causam a deterioração dos alimentos. Outras vezes, é importante aumentar a velocidade das reações, como acontece com as que ocorrem por exemplo, na produção industrial. É que quanto mais rapidamente se produz um determinado produto mais barata fica a produção.
Os químicos, após investigação atenta, concluíram que é possível alterar a velocidade das reações químicas, tornando-as mais rápidas ou mais lentas, atuando de forma adequada num ou mais do que um dos seguintes fatores:

  • temperatura,
  • concentração dos reagentes,
  • estado de divisão dos reagentes sólidos,
  • presença de catalisadores/inibidores.

♦ TEMPERATURA

– Nos dias quentes, os alimentos alteram-se e deterioram-se mais depressa que nos dias frios;
– Uma peça de carne assa tanto mais depressa, quanto mais quente estiver o forno;
– A massa do pão leveda mais rapidamente em ambientes quentes.

Quando uma mesma reação ocorre a temperatura mais elevadas, verifica-se que se forma mais rapidamente um ou mais produtos. Inversamente, quando se baixa a temperatura dos reagentes a reação torna-se mais lenta.

Maior temperatura ↔ Maior velocidade
Menor temperatura ↔ Menor velocidade

Quanto mais elevada for a temperatura maior é a velocidade da reação.

♦ CONCENTRAÇÃO DOS REAGENTES

– A combustão do carvão é mais rápida no seio do oxigénio que no ar;
– A lixívia diluída com muita água demora muito tempo a remover uma mancha de cor;
– Um café “muito forte” (muito concentrado) produz um efeito mais prolongado do que um “carioca”.

Nas reações químicas, em que pelo menos um dos reagentes está em solução, verifica-se, em geral, que:

  • A velocidade aumenta quando se usam soluções mais concentradas.
  • A velocidade diminui quando se usam soluções mais diluídas (menos concentradas).

Maior concentração ↔ Maior velocidade
Menor concentração ↔ Menor velocidade

Quanto maior for a concentração dos reagentes maior é a velocidade das reações.

♦ ESTADO DE DIVISÃO DOS REAGENTES SÓLIDOS

– As batatas cozem mais depressa quando cortadas aos bocados do que cozidas inteiras.
– A carne altera-se mais rapidamente se for picada previamente.
– A lenha cortada arde mais depressa do que um tronco inteiro.

Nas reações químicas em que pelo menos um dos reagentes está no estado sólido, verifica-se que a velocidade aumenta quando se usa o sólido em pedaços mais pequenos, ou seja, muito dividido.

Maior estado de divisão ↔ Maior velocidade
Menor estado de divisão ↔ Menor velocidade

 Como se explica este facto?
Como sabe, para que uma reação ocorra é necessária que os reagentes contactem. Assim:

  • Quanto mais dividido estiver o reagente sólido, maior é a superfície de contacto entre os reagentes, o que favorece a ocorrência da reação.
  • Quanto menos dividido estiver o reagente sólido menos é a superfície de contacto entre os reagentes, o que dificulta a ocorrência da reação.

Quanto maior for o estado de divisão dos reagentes sólidos mais rápida é a reação.

♦ PRESENÇA DE CATALISADORES/INIBIDORES

Há substâncias que adicionadas aos reagentes de uma reação química alteram a sua velocidade, sem, no entanto, se consumirem nela. Não são reagentes da reação. Estas substâncias chamam-se catalisadores.

◊ Catalisadores positivos
São catalisadores que aumentam a velocidade da reação. São chamados catalisadores positivos ou, simplesmente catalisadores.
Uma reação pode ser catalisada por diferentes substâncias. A experimentação permite selecionar o catalisador específico de uma reação. Esse catalisador pode ser absolutamente inútil noutra reação. Até pode ser inibidor de algumas.

◊  Catalisadores negativos/Inibidores

São catalisadores que diminuem a velocidade da reação. São denominados catalisadores negativos ou inibidores.
Os inibidores que retardam a deterioração dos alimentos são muito importantes. Como por exemplo, temos os aditivos alimentares (que são inibidores) e que, na comunidade europeia, são designados pela letra E seguida de um número. Nos rótulos de algumas embalagens alimentares podes encontrar assinalados estes aditivos.

Exemplos:

  • E250 – Nitrato de Sódio (conservante)
  • E470 – Carregenina (estabilizante)
  • E 471 – Monoglicérido de ácidos gordos (emulsionante)

Os inibidores têm muita importância económica. Isto porque servem de antioxidantes e de conservantes dos nossos alimentos.
Os antioxidantes protegem os alimentos das alterações provocadas pelo seu contacto com o ar. Por exemplo, para evitar o escurecimento da fruta cortada usa-se sumo de limão como antioxidante.
Os conservantes prolongam a duração dos alimentos, protegendo-os das alterações provocadas por microrganismos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s